Agricultura - 04/11/2015

Duas doenças atacam o trigo de Guarapuava (PR) na hora da colheita.

No momento em que o Brasil mais depende do trigo de qualidade, duas doenças ainda não identificadas estão derretendo o trigal de Guarapuava/PR.



Duas doenças, ainda não identificadas, atingiram as lavouras de trigo na região de Guarapuava (PR) que já estavam prontas para a colheita. Os pesquisadores suspeitam que possa ser uma bacteriose combinada com o fungo da mancha amarela que estão derretendo o trigal da região.

O problema teve inicio nas lavouras de cevada e rapidamente se espalhou para o trigo. As plantas atingidas pela doença ficam com as hastes amareladas, e os grãos endurecem comprometendo a qualidade do produto.

Segundo o presidente do sindicato rural de Guarapuava, Rodolpho Botelho, a safra que apresentava grandes qualidades e produtividade está virando triguilho. "Nos últimos dez dias a doença da macha amarela - que já estava ocorrendo - pode ter se associado a uma bacteriose e agora as aplicações de fungicidas não tem obtido resultados positivos", explica Botelho afirmando que cada aplicação custou em média mil reais por hectare.

Caso a presença da bacteriose se confirme podemos ter perdas significativas na produção, pois não existem agroquímicos de controle registrados para o trigo. Atualmente cerca de 7% de todo o trigo produzido no Estado é cultivado em Guarapuava (PR).

Além disso, em todo o país há registros de problemas com o trigo na safra 2015/16, devido ao excesso de chuvas no Sul. "Com os problemas no Rio Grande do Sul e em parte do Paraná, já se fala em um produção brasileira de 6 milhões de toneladas", destaca o presidente.

Diante desse cenário, Botelho ressalta ainda a importância de investir em tecnologia para desenvolver novos produtos de controle de doenças e potencializar da produção.

Veja mais


Produtores rurais de Itararé participam de Feira da Agricultura Familiar.

O evento teve a participação de 36 pessoas entre técnicos e agricultores familiares de Itararé.

Ler notícia

Ministério da Agricultura prioriza controle de oito pragas.

Lista elaborada pelo ministério apresenta doenças de maior risco fitossanitário.

Ler notícia

Prejuízo causado por nova lagarta da soja alerta para cuidados nas lavouras do Sul

Alguns produtores deixaram de realizar o monitoramento o que facilita o surgimento de pragas

Ler notícia

Secretaria de Agricultura e Pecuária participou da 10ª AGRIFAM

Um grupo de produtores de Itararé também esteve presente

Ler notícia


Comentários