Notícias da Região - 30/01/2015

Prefeitura e SANEPAR fazem reunião com moradores do Pinhalzinho.

A solução será a criação de uma Associação para o Controle e Manutenção d’Água.



Na última terça-feira (27), o Coordenador de Relações com as Comunidades da SANEPAR, Roboão Senegaglia esteve em reunião com a prefeita Elietti Jorge, o vice-prefeito Hillebrand de Boer, o Chefe de Gabinete Waldomiro Popadiuk, o Secretário Municipal de Obras, Habitação e Saneamento Rafael dos Santos da Silva, o Secretário Municipal de Serviços Urbanos Lenoir Zembruski para discutir uma solução para a comunidade do bairro Pinhalzinho com relação ao fornecimento e manutenção de água para aquela comunidade.

Segundo os estudos realizados pela SANEPAR desde o ano passado, a pedido da atual administração municipal, demonstram que a água daquele bairro é potável e serve para o consumo humano, desde que devidamente tratada. “A questão da água será analisada várias vezes durante o processo de instalação do novo sistema de fornecimento que será realizado em parceria com a SANEPAR e Prefeitura. O meu papel aqui hoje, é organizar uma Associação para o Controle e Manutenção da Água”, disse o Coordenador de Relações Comunitárias, Roboão Senegaglia.

A reunião com aproximadamente 70 (setenta) moradores aconteceu às 18h nas dependências da Escola do Campo Marechal Deodoro da Fonseca e contou ainda com a presença de outros secretários além dos já citados, ou seja, a Secretária Municipal de Saúde Maguiane de Fátima Ribeiro Copetti, a Secretária Municipal de Assistência Social Elisângela Henning Miranda, a Coordenadora da Vigilância Sanitária Laura B. Nalesso, o Coordenador de Meio Ambiente Francisco Neto e demais funcionários das respectivas secretarias.

“Não há interesse da SANEPAR e nem viabilidade administrativa por parte da Prefeitura no fornecimento e manutenção da água neste bairro. O que deve existir é a organização dos moradores através de uma Associação para que eles mesmos administrem este trabalho. E isso é possível, pois assim como Pinhalzinho existem mais de 2 mil comunidades que fazem este serviço no Estado. A SANEPAR e a Prefeitura farão todo o trabalho de instalação e readequação do abastecimento, além do controle inicial e três pessoas da comunidade, sendo uma titular e outras duas reserva serão treinadas pela SANEPAR para oferecer seus serviços em benefício da comunidade. O pagamento destas pessoas, bem como os custos de energia gastos para o bombeamento da água para o sistema, bem como a aquisição de químicos para o tratamento e a futura aquisição de bombas de reserva, sairão do fundo de reserva da Associação. Não é impossível. Os custos cairão praticamente pela metade e a Associação conseguirá manter-se tranquilamente; basta todos participarem deste modelo de gestão”, garantiu o Coordenador de Relações Comunitárias, Roboão Senegaglia.

“Nós da administração estamos trabalhando nesta questão da água do bairro do Pinhalzinho desde fevereiro do ano passado e agora estamos começando a ver surgir os primeiros passos para a solução definitiva do problema. Lembro que foi um pedido de toda a comunidade já naquela oportunidade para que fosse dada uma solução e que eles estariam dispostos a pagar pelos serviços. Mas nós, além disso, estamos oferecendo a oportunidade de se organizarem e fazerem do trabalho deles uma Associação capaz de gerenciar sozinhos os abastecimentos de água, o que dará a independência e a solução definitiva que tanto desejam”, disse a prefeita Elietti.

Os trabalhos devem começar no próximo mês, quando a Associação do Pinhalzinho já deverá estar formada para os primeiros passos em busca da qualidade de vida através do fornecimento de água em quantidade e qualidade.

Veja mais


Iniciada a construção do campus da Escola Técnica Federal em Itapeva.

Inauguração está prevista para o primeiro semestre de 2015.

Ler notícia

Prefeitura e CCR trouxeram ‘Buzum’ com ‘Filhotes do Brasil’ para os estudantes.

‘Buzum’ é um pequeno teatro de bonecos ambulante apresentado dentro de um ônibus.

Ler notícia

Nova empresa se instala em Jaguariaíva.

A COREMAX irá gerar inicialmente 30 empregos diretos.

Ler notícia


Comentários