Política - 01/07/2014

22ª Sessão da Câmara Municipal de Itararé foi marcada por uma notícia desconsertante.

O vereador Dr. Junior no uso da tribuna falou sobre o rompimento do convênio com a FURP.



  • "Isto é um absurdo.Centenas de pacientes dependem destes remédios", disse o vereador Willer Costa Mendes quando soube do rompimento do convênio da Prefeitura de Itararé com a FURP-Fundação para o Remédio Popular do Governo do Estado.

No uso da tribuna, o vereador José Carlos Mendonça Martins Junior falou a respeito de uma informação que havia recebido sobre o rompimento por parte da Prefeitura Municipal de Itararé com a FURP-Fundação para o Remédio Popular do Governo do Estado.

A FURP fornece gratuitamente diversas medicações para prefeituras de todo o Estado, entre eles, remédios para o controle da pressão arterial, diabetes, coração e outros.

A notícia caiu como uma bomba na sessão ordinária da Câmara Municipal e pegou a maioria dos vereadores de surpresa, inclusive o líder da prefeita na Casa de Leis, vereador Willler Costa Mendes que disse ser um absurdo o rompimento deste convênio.

"Fui pego de surpresa neste caso, tentei ligar diversas vezes para a prefeita Cristina Ghizzi durante a sessão para obter maiores informações mas não consegui. Falei com a enfermeira responsável e esta me confirmou o rompimento do convênio. Amanhã, terça-feira (01) logo pela manhã estarei conversando com a prefeita para saber os motivos e uma solução para o caso, pois é algo muito grave e não pode ficar desta maneira. Centenas de pacientes estarão sofrendo com a falta deste medicamentos", disse o vereador Willer Costa Mendes.

No decorrer desta semana, nossa equipe de reportagem tentará obter mais informações a respeito do assunto.

Veja mais


Câmara instala CEI para investigar descarte de remédios

Esta é a terceira CEI instalada em 2013 na Câmara Municipal de Itararé.

Ler notícia

Câmara aprova orçamento do município para 2015: R$ 108 milhões.

Orçamento de R$ 98,3 milhões contra os R$ 88,3 milhões em 2013.

Ler notícia

Rejeitado pedido para instalação de Comissão Processante.

A denúncia foi redigida com base no relatório final da CEI, concluída em outubro deste ano.

Ler notícia


Comentários