Notícias da Região - 24/07/2013

No Paraná, 20 municípios concentram metade dos repasses do ICMS

Tribunal de Contas homologa índices de participação dos 399 municípios do Estado na arrecadação do ICMS em 2013,cuja soma atinge R$ 4,58 bilhões



Os 399 municípios paranaenses devem receber, ao longo de 2013, R$ 4,58 bilhões em receitas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Metade dos recursos – R$ 2,296 bilhões – será repartida entre 20 municípios e quase um terço (31,64%), divididos entre seis municípios da Região Metropolitana de Curitiba.

Na sessão plenária de 4 de julho  o Tribunal de Contas do Estado (TCE-PR) homologou o cálculo das cotas do ICMS (Processo 655120/12) feito pela Secretaria Estadual da Fazenda.

O volume destinado aos municípios neste ano é 13,7% maior que o de 2012 (R$ 4,026 bilhões). Resulta de um crescimento de 44% nessa arrecadação estadual desde a eclosão da crise financeira internacional, que estagnou a cota de 2009 para 2010 (R$ 3,18 bilhões).

Curitiba permanece com a maior fatia do bolo fiscal (14,36%), o equivalente a R$ 657,9 milhões.

Por lei, cabe aos municípios 25% do ICMS arrecadado pelo Estado sobre operações relativas à circulação de mercadorias e prestação de serviços de comunicação e de transporte intermunicipal e interestadual. Os 75% restantes do imposto são destinados ao governo estadual, conforme estipula o Artigo 158 da Constituição Federal.

A divisão é feita de acordo com seis fatores variáveis: o valor fiscal gerado (75%), o percentual de áreas verdes e reservas ambientais (5%), a participação na produção agropecuária (8%), população rural (6%), índice de propriedades rurais (2%) e área territorial (2%). Os 2% restantes formam fator fixo de distribuição igualitária.

Sobe e desce

Pela primeira vez em cinco anos, São José dos Pinhais aparece na 2ª posição (com 7,25% do ICMS), à frente de Araucária (6,49%, 3ª), que é seguida por Londrina (2,6%, 4ª). De 2007 a 2013, os são-joseenses só viram crescer sua cota, que passou de 4,82% para 7,25% (acumulado de 43%), mais que dobrando a receita fiscal (R$ 140,7 milhões para R$ 332,3 milhões).

Outro destaque positivo neste ano é Maringá. O município subiu duas posições na lista (2,37%, 5ª), desbancando Ponta Grossa (2,31%, 6ª) e Foz do Iguaçu (2,01%, 7ª). O município da Tríplice Fronteira, por sua vez, sofreu a maior contração na cota em relação a 2012 (-14,35%), acumulando piora consecutiva proporcional do índice nos últimos seis anos (-46,5%, no acumulado) – Foz detinha a 4ª maior fatia em 2007.

Paranaguá (passou da 14ª à 11ª posição) e Telêmaco Borba (da 16ª à 14ª) ficaram mais competitivos em 2013, assim como Apucarana, que regressou ao 20º lugar da lista, em 2012 ocupado por Rolândia. Desde 2007, os 20 primeiros colocados na distribuição das cotas do ICMS acumulam pouco mais que metade dos recursos com o imposto.

Neste ano de 2013, oito municípios possuem alguma parcela destes recursos impugnados, alvo de decisão judicial para depósito em conta específica. São eles: Candói, Chopinzinho, Foz do Jordão, Mangueirinha, Porto Barreiro, Rio Bonito do Iguaçu, Virmond e Goioerê.

Cota do ICMS aos 399 municípios paranaenses (em R$)

2013

R$ 4.580.524.304

2012

R$ 4.026.136.056

2011

R$ 3.614.465.740

2010

R$ 3.178.887.000

2009

R$ 3.180.639.500

Veja mais


Novos bairros terão academias da Terceira Idade.

Também serão colocados mobiliários urbanos, como banco, postes de iluminação e lixeiras.

Ler notícia

Posto Veterinário de Itapeva realiza quase 3 mil consultas em 2015.

Balanço mostra intensa atividade do espaço, que trabalha pelo controle das zoonoses no município.

Ler notícia

‘AGOSTO AZUL’ terminou com grande participação masculina em palestras e exames.

O objetivo desta Campanha foi o de melhorar a qualidade de vida da população masculina de Sengés.

Ler notícia

Jovens de Sengés foram dispensados do Serviço Militar.

202 jovens receberam seus Certificados de Reservistas.

Ler notícia


Comentários