Cotidiano - 07/11/2015

Prefeitura recebe licença de operação definitiva do Aterro Sanitário.

O resultado deste trabalho resultou numa nota 9,6 de IQR -Índice de Qualidade de Resíduos.



  • O resultado deste trabalho resultou numa nota 9,6 de IQR- Índice de Qualidade de Resíduos.

O Aterro Sanitário de Itararé recebeu da Cetesb – Companhia Ambiental do Estado de São Paulo licença autorizando a operação definitiva por cinco anos. A liberação é resultado de um intenso trabalho realizado nos últimos três anos pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente, cujas ações consistiram na ampliação da área de recepção de resíduos em cinco mil metros quadrados.

“As melhorias no aterro contaram com a colaboração de diversas secretarias municipais, e o mais importante, as obras seguiram rigorosamente as novas leis relativas à questão ambiental. O resultado deste trabalho nos deu uma nota 9,6 de IQR, que significa Índice de Qualidade de Resíduos, o que provou a seriedade de nossa gestão”, relatou o secretário de meio ambiente, Antônio Robson Ferreira.

O secretário ainda destaca que a expectativa de utilização do aterro, nas condições em que se encontra hoje, é de aproximadamente 20 anos, mas que este prazo depende também de ações paralelas como a reciclagem, pois o local somente está apto a receber resíduo orgânico. “Os materiais recicláveis, o que chamamos de resíduo seco, devem ser reaproveitados futuramente”, explicou Robson.

Em 2013 a Prefeitura de Itararé implantou uma lagoa de armazenamento de chorume com a capacidade de 1180 m³, somando-se a uma já implantada com a capacidade de 256 m³, as quais contaram também com a colocação de manta impermeabilizadora, totalizando nestas obras um investimento da atual administração de aproximadamente R$ 1,5 milhão.

Veja mais


Contribuinte tem até 30 de junho para aderir ao Refis 2013

Impostos atrasados poderão ser pagos com descontos somente até 30 de junho

Ler notícia

Capitu é inocentada pelos alunos de Direito

Num simulado de audiência, alunos se basearam na obra de Machado de Assis.

Ler notícia


Comentários