Economia - 14/10/2015

Natal deve ser o pior para as vendas desde 2004.

É o que alerta o Sebrae-SP. Móveis e eletrodomésticos serão os mais afetados, prevê CNC.



  • Panorama de recessão deverá atingir uma das melhores datas para o comércio.

A previsão para o Dia das Crianças, termômetro para o Natal, era pessimista, mas com a aproximação da data as expectativas se mostraram mais estáveis. Agora a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) emitiu uma nota prevendo que o Natal deste ano deve registrar a primeira queda nas vendas desde 2004.

A expectativa é que a movimentação financeira alcance apenas os R$ 32,2 bilhões, ou seja, uma queda de 4,1% em relação ao ano passado. O segmento de móveis e eletrodomésticos será um dos mais afetados pela significativa desvalorização cambial, pela inflação elevada e sobretudo pelo encarecimento do crédito. A previsão da CNC é que o setor apresente uma das maiores retrações em relação a 2014, com queda de 16,3% nas vendas.

Dos oito segmentos avaliados, entre eles hiper e supermercados, vestuário e calçados, farmácias e perfumarias, só há expectativa de crescimento das vendas no ramo de artigos de uso pessoal e doméstico, de 3,1%.

Fim do ano com menos empregos temporários


Diante desse cenário, a contratação de trabalhadores temporários deverá recuar. Embora o corte de 2,3% já esteja previsto no número de vagas em relação a 2014, a demanda sazonal por emprego no comércio varejista deve levar o setor a abrir 139,6 mil posições, destaca a CNC. Em média, o volume de vendas do comércio costuma crescer 35% no último mês do ano. A Confederação estima ainda que o salário médio de admissão poderá chegar a R$ 1.442,00.

Assim como nas vendas, a tendência de retração de vagas temporárias será liderada pelo ramo de móveis e eletrodomésticos (-10,5%), seguido por livrarias e papelarias (-5,0%) e pelas lojas de vestuário e acessórios (-4,9%). Apesar da expectativa de queda nas vendas de vestuário, esse ramo, somado ao varejo de hiper e supermercados e às lojas de artigos de uso pessoal e doméstico, deve responder por oito em cada dez temporários contratados para o Natal de 2015.

Análise Sebrae

Com as recentes previsões do Banco Central para a economia brasileira em 2015, espera-se que o Produto Interno Bruto (PIB) encolha 2,85% até o final do ano e que a inflação chegue a 9,53%, acima da meta de 4,5% para o período.

Este panorama econômico faz com que o comércio varejista seja um dos setores impactados diretamente pela redução no consumo do brasileiro, o que gera a necessidade de que os pequenos negócios do varejo de moda estejam atentos aos movimentos do mercado, buscando diferenciar-se e se adequar aos novos padrões de consumo do brasileiro.

Diante deste cenário, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) prevê que o Natal de 2015 deverá registrar uma queda de 4,1% nas vendas em comparação a 2014, a primeira queda desde 2004. Aliado a este fator, a Confederação espera ainda que o segmento de vestuário e acessórios reduza em 4,9% a contratação de temporários, perdendo apenas para o ramo de móveis e eletrodomésticos (-10,5%) e livrarias e papelarias (-5,0%).

Assim, os empreendedores do setor devem estar atentos para o correto dimensionamento da demanda, para que a empresa de pequeno porte não incorra em excesso ou falta de mercadorias, o que pode contribuir para a geração de resultados negativos no período. Portanto, a gestão de estoques e a compreensão do mercado tornam-se essenciais para que as empresas do varejo de moda possam alcançar novas oportunidades.

Empreendedor, procure auxílio no Sebrae de sua região para o correto dimensionamento da demanda e gestão de estoques, além de contar com uma gestão financeira que permita à empresa superar os desafios com a crise. Telefone Sebrae Itapeva (15) 3522-4120. 

Veja mais


O ‘Artesanato em Si’ feito à mão por duas artesãs.

Simples como somar um e um que resultam em dois, ou melhor duas artesãs de muito talento e que decidiram abrir seu próprio negócio.

Ler notícia

Contratos e sua revisão.

Não se trata de rasgar documentos assinados. Atitudes desse tipo minam a credibilidade e têm consequências legais.

Ler notícia

Constelações Sistêmicas podem ajudar na solução de problemas de uma Empresa.

Em período de instabilidade econômica, técnica pode trazer soluções positivas para empresas de todos os tamanhos.

Ler notícia


Comentários