Agricultura - 13/04/2015

Em março, IBGE prevê safra 3,6% maior que a de 2014.

Índice foi baseado no LPSA que é uma pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras dos principais produtos agrícolas.



A terceira estimativa de 2015 para a safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas totalizou 199,7 milhões de toneladas, 3,6% superior à obtida em 2014 (192,8 milhões de toneladas). A previsão de março em relação a fevereiro cresceu 139,2 mil toneladas (+0,1%). A estimativa da área a ser colhida (57,3 milhões de hectares) foi 1,7% maior que a área colhida em 2014 (56,3 milhões de hectares) e 0,2% maior na comparação com fevereiro (acréscimo de 121,4 mil hectares). Arroz, milho e soja, os três principais produtos deste grupo, somados representaram 91,6% da estimativa da produção e responderam por 85,5% da área a ser colhida. Em relação ao ano anterior, houve acréscimo de 4,3% na área da soja e redução 3,2% na área de arroz e de 0,4 na área do milho. No que se refere à produção, houve acréscimos de 0,9% para o arroz, 9,7% para a soja e diminuição de 3,7% para o milho.

Regionalmente, o volume da produção de cereais, leguminosas e oleaginosas apresentou a seguinte distribuição: Centro-Oeste, 80,6 milhões de toneladas; Região Sul, 76,1 milhões de toneladas; Sudeste, 18,4 milhões de toneladas; Nordeste, 18,8 milhões de toneladas e Norte, 5,9 milhões de toneladas. Comparativamente à safra 2014, foram constatados os seguintes incrementos: Norte (6,8%), Nordeste (20,3%), Sudeste (2,5%) e no Sul (7,6%). O Centro-Oeste apresentou diminuição de 2,9% em relação à produção do ano anterior. Nessa avaliação para 2015, o Mato Grosso liderou como maior produtor nacional de grãos, com uma participação de 23,6%, seguido pelo Paraná (18,5%) e Rio Grande do Sul (16,3%), que somados representaram 58,4% do total nacional previsto.

Estimativa de março de 2015 em relação à produção de 2014

Dentre os vinte e seis principais produtos, doze apresentaram variação percentual positiva na estimativa de produção em relação ao ano anterior: amendoim em casca 1ª safra (0,7%), amendoim em casca 2ª safra (3,9%), arroz em casca (0,9%), aveia em grão (23,6%), cevada em grão (23,1%), feijão em grão 1ª safra (7,0%), feijão em grão 2ª safra (4,9%), mamona em baga (138,1%), mandioca (5,1%), milho em grão 1ª safra (1,1%), soja em grão (9,7%) e trigo em grão (24,9%). Com variação negativa, houve quatorze produtos: algodão herbáceo em caroço (10,5%), batata-inglesa 1ª safra (0,8%), batata-inglesa 2ª safra (2,4%), batata-inglesa 3ª safra (19,4%), cacau em amêndoa (7,4%), café em grão-arábica (1,9%), café em grão-canephora (15,2%), cana-de-açúcar (2,5%), cebola (7,2%), feijão em grão 3ª safra (11,4%), laranja (7,5%), milho em grão 2ª safra (6,7%), sorgo em grão (10,2%) e triticale em grão (10,5%).

O incremento de produção mais significativo, em números absolutos, superando a 2,0 milhões de toneladas, na comparação com a safra 2014, ocorreu para a soja (8.343.121 toneladas). Nesta comparação anual, as maiores variações negativas, em números absolutos, foram observadas para a cana-de-açúcar (-16.953.509 t) e o milho (-2.879.451 t).

Estimativa de março de 2015 em relação a fevereiro de 2015

Na estimativa de produção de março, frente a fevereiro, destacaram-se as seguintes variações: feijão 2ª safra (+3,1%), trigo (+2,6%), milho 2ª safra (+0,8%), milho 1ª safra (+0,2%), soja (-0,1%), café arábica (-0,6%), arroz (-1,7%), feijão 1ª safra (-2,4%), algodão herbáceo (-3,0%), sorgo (-4,2%) e feijão 3ª safra (-8,1%).

ARROZ (em casca) – A estimativa de março para o arroz prevê uma área a ser colhida de 2.274.339 hectares, com uma produção esperada de 12.261.607 toneladas, e rendimento médio esperado de 5.391 kg/ha, menores, respectivamente, em 1,4%, 1,7% e 0,3%, quando comparados aos dados de fevereiro. A região Sul, no momento, é responsável por 78,7% da produção nacional. As lavouras encontram-se em fase colheita e o clima está ajudando. O preço da saca de 50 kg no Rio Grande do Sul encontra-se na faixa dos R$ 36,00 (EMATER/RS) e no Paraná, a saca de 60 kg do arroz irrigado está sendo comercializada na faixa dos R$ 48,00/R$ 50,00 e o arroz de sequeiro entre R$ 51,00/R$ 52,00 (GCEA/PR). O produto colhido até o presente momento, encontra-se com boa qualidade.

CAFÉ ARÁBICA (em grão) - A estimativa de março para a produção do país em 2015 é de 1.880.548 toneladas, indicando queda de 0,6% em relação a fevereiro, em razão da redução de 0,8% do rendimento médio esperado. Em Minas Gerais, maior produtor e responsável por 71,0% da produção nacional, o rendimento esperado é de 1.354 kg/ha, queda de 1,0% frente ao mês anterior. Embora este ano as chuvas tenham voltado nas principais regiões produtoras do estado, a seca e as temperaturas elevadas de 2014 ainda tem reflexos nos levantamentos da produção.

FEIJÃO (em grão) TOTAL - A estimativa para a área plantada com feijão diminuiu 0,3% em março de 2015, em relação ao mês de fevereiro. A estimativa de produção variou negativamente (-1,0%), acompanhando a redução da área destinada a colheita em 0,7% e do rendimento médio, que também diminuiu 0,2%. Neste levantamento, os maiores produtores são Paraná (23,1%), Minas Gerais (16,1%) e Bahia (9,9%).

MILHO (em grão) - A produção total de milho está estimada em 75,9 milhões de toneladas, alta de 0,6% em relação ao mês anterior. A área plantada também foi reajustada positivamente em 0,7%, passando a ser de 15,2 milhões de hectares. Calcula-se que o total de milho primeira safra a ser produzido este ano será de 30,9 milhões de toneladas, alta de 0,2% em relação ao mês de fevereiro. Rio Grande do Sul, atual primeiro maior produtor de milho primeira safra, segue com colheitas dentro da normalidade. Com relação ao milho segunda safra, estima-se a produção de 44,9 milhões de toneladas, alta de 0,8% em relação ao mês de fevereiro. A estimativa de área plantada também se elevou passando a ser de 9,0 milhões de hectares, maior 1,1%.

SOJA (em grão) - A produção nacional de soja em março é estimada em 94,8 milhões de toneladas, mostrando leve retração de 0,1% em relação ao mês anterior. A área plantada foi reajustada positivamente em 0,5% passando a ser de 31,6 milhões de hectares. O rendimento médio foi reajustado negativamente em 0,5% devido a problemas climáticos, principalmente na região Centro-Oeste. A nova estimativa do rendimento médio nacional é de 3.006 kg/hectares. Mato Grosso detém 29,2% da estimativa de produção da oleaginosa. Espera-se neste estado a produção de 27,6 milhões de toneladas, alta de 1,0% em relação ao mês anterior.

TRIGO (em grão) - A atual estimativa da produção, ainda na condição de intenção de plantio, para a safra 2015, é de 7.712.795 toneladas, numa área a ser colhida de 2.793.025 hectares, com um rendimento médio esperado de 2.761 kg/ha, maiores, respectivamente, em 2,6%, 0,1% e 2,5%, quando comparados aos dados do mês anterior. O Estado do Paraná estima para a cultura uma área de 1.350.070 hectares, menor 0,5% quando comparada ao mês anterior. A previsão para a produção é de 4.045.343 toneladas e para o rendimento médio de 2.996 kg/ha, estando maiores, respectivamente, 4,5% e 5,0%. Este é um indicativo inicial, podendo o quadro ser alterado, tendo em vista que o plantio no Estado inicia-se no mês de abril e se estende até o mês de julho.

Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) é uma pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras dos principais produtos agrícolas, cujas informações são obtidas por intermédio das Comissões Municipais (COMEA) e/ou Regionais (COREA); consolidadas em nível estadual pelos Grupos de Coordenação de Estatísticas Agropecuárias (GCEA) e posteriormente, avaliadas, em nível nacional, pela Comissão Especial de Planejamento Controle e Avaliação das Estatísticas Agropecuárias (CEPAGRO) constituída por representantes do IBGE e do Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento (MAPA). Em atenção a demandas dos usuários de informação de safra, os levantamentos para cereais (arroz, milho, aveia, centeio, cevada, sorgo, trigo e triticale), leguminosas (amendoim e feijão) e oleaginosas (caroço de algodão, mamona, soja e girassol) foram realizados em estreita colaboração com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), órgão do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), continuando um processo de harmonização das estimativas oficiais de safra, iniciado em março de 2007, para as principais lavouras brasileiras.

A publicação completa da pesquisa pode ser acessada na página
www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/agropecuaria/lspa

Veja mais


Prefeitura adquire ensiladeira para atender produtores rurais

A ensiladeira estará à disposição dos produtores nos próximos dias.

Ler notícia

Pesquisa desenvolve bacon, copa e presunto de carne ovina.

No desenvolvimento dos produtos, o projeto contou com a parceria de diferentes instituições.

Ler notícia

Secretaria de Agricultura pede a produtores rurais que façam o Cadastro Ambiental Rural

O CAR – Cadastro Ambiental Rural – constitui um cadastro eletrônico.

Ler notícia

Feira Noturna acontece na próxima quarta-feira

Espaço reservado para o artesanato, gastronomia e produtos frescos direto da horta

Ler notícia


Comentários