Agricultura - 06/02/2015

Fetaesp entrega 11 residências em Itararé nesta segunda-feira.

Casas fazem parte do Programa Nacional de Habitação Rural.



  • Fetaesp entregará 11 casas em Itararé. Na foto uma delas em construção.

Graças ao convênio da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Estado de São Paulo, Fetaesp, com o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Itararé e os governos Federal e Estadual, serão entregues 11 casas em Itararé no dia 09 de fevereiro.

A construção das casas ocorreu por meio do Programa Nacional de Habitação Rural, do Minha Casa Minha Vida. A Fetaesp é a entidade organizadora e a Caixa Econômica Federal, a agente financiadora. 

A construção conta com subsídios dos governos Federal e Estadual. A subvenção Federal é de 96% de R$ 28,5 mil, deixando somente 4% de investimento aos agricultores. Cada moradia ainda terá mais R$ 10 mil do Governo Estadual para sua construção, já que no dia 2 de agosto, o Governador Geraldo Alckmin, ao participar da 10ª Agrifam – Feira da Agricultura Familiar, atendeu reivindicação da Fetaesp por mais essa quantia, que propicia a ampliação na construção das habitações, resultando numa moradia de R$ 38,5 mil.

“Com esse subsídio o agricultor poderá melhorar suas condições de vida e se manter na atividade rural”, observa Sônia Maria Sampaio, diretora de finanças da Federação. Os sindicatos que tiverem interesse em iniciar novos projetos em seus municípios deverão formar um grupo de interessados e entrar em contato com a Fetaesp. 

SERVIÇO:

Entrega das casas

Local: Bairro do Matão – Barracão da Igreja Santa Terezinha

Data: 09/02/2015

Horário: 10h

Veja mais


Encontro discute tendências do agronegócio nos Campos Gerais

O evento gratuito acontece no auditório da ACIPG, Ponta Grossa

Ler notícia

Você sabe o que é um Autopropelido?

Se você respondeu que não, então leia esta matéria.

Ler notícia

Fetaesp inaugura onze moradias rurais em Itararé.

Casas fazem parte do Programa Nacional de Habitação Rural.

Ler notícia

Duas doenças atacam o trigo de Guarapuava (PR) na hora da colheita.

Com a colheita prestes a começar, as doenças, que estavam na cevada, pularam para o trigo.

Ler notícia


Comentários