Saúde - 23/11/2014

Milton Monti propõe que recursos de emendas possam comprar medicamentos.

Atualmente as emendas na área da saúde são utilizadas apenas para equipamentos e estruturas físicas.



O deputado federal Milton Monti apresentou uma emenda à LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) que permite que recursos destinados por emendas parlamentares aos municípios, na área da saúde, possam ser usados para a aquisição de medicamentos.

De acordo com o texto proposto, recursos destinados para a Rede SUS na opção de custeio poderão ter a finalidade de incluir a aquisição de medicamentos utilizados no controle e no tratamento de programas específicos, como asma, rinite, hipertensão, diabetes, bem como para o tratamento ambulatorial e domiciliar dos casos positivos de HIV/DST/AIDS.

Atualmente, só é permitida aos parlamentares a indicação de emendas, no âmbito do ministério da saúde, que propicie investimentos nas instalações físicas das unidades e compra de equipamentos, o que vem gerando às prefeituras uma carência financeira no que diz respeito ao custeio dos serviços prestados na área da saúde. “O que muitos prefeitos se queixam, hoje, é que as instalações físicas já estão adequadas. É necessário investir agora no custeio, na manutenção dessas atividades, para que a população possa ser melhor atendida, como é o caso da distribuição de medicamentos”, destaca o deputado federal Milton Monti.

Veja mais


Vereadores prestigiam lançamento de centro oncológico

A obra custará R$190 milhões e faz parte da Rede Estadual Hebe Camargo de combate ao câncer

Ler notícia

Campanha de Vacinação segue até o dia 20 de maio.

Vigilância Epidemiológica informa que até o momento foram imunizadas 3.776 pessoas.

Ler notícia

Itararé conta com novo veículo para o transporte de pacientes.

Van com 16 lugares transportará diariamente pacientes para São Paulo.

Ler notícia

Recursos para Centro Regional de Oncologia em Itapeva, são empenhados

Foi o que garantiu o secretário estadual adjunto da Saúde, Wilson Modesto Pollara, ao Dr. Ulysses (PV).

Ler notícia


Comentários