Saúde - 15/11/2014

Meninas entre 11 e 13 anos devem tomar a segunda dose da vacina contra o HPV.

Mais da metade das meninas ainda precisa tomar a segunda dose da vacina contra o HPV.



Mais da metade das meninas ainda precisa tomar a segunda dose da vacina contra o HPV. É o que alerta a Secretaria de Higiene e Saúde de Itararé.

No início do ano houve a primeira fase da campanha de vacinação. Agora as meninas entre 11 e 13 anos devem tomar a segunda dose, que é necessária para a proteção contra o HPV, principal responsável pelo câncer de colo de útero. A doença é a terceira causa de morte de mulheres por câncer no Brasil.

No total, devem ser tomadas três doses contra o HPV. A segunda dose deve ser tomada após seis meses da primeira, e a terceira, cinco anos depois.

A Secretaria de Higiene e Saúde de Itararé informa que a vacina é gratuita e está disponível em todos os postos de saúde da cidade.

----------------------------------------------------------------------------------

Secretaria de Higiene e Saúde oferece mais uma vacina para as gestantes.

A Secretaria de Higiene e Saúde de Itararé passa a oferecer mais uma vacina para as mulheres grávidas. É a Tríplice Acelular. A dose combate o tétano, a difteria e a coqueluche.

As gestantes que estão entre a vigésima sétima e a trigésima sexta semana já podem procurar os postos de saúde para serem imunizadas contra as três doenças.

Antes, apenas a dose que protegia contra difteria e tétano estava disponível para as grávidas. A vacina contra a coqueluche foi incluída porque que a doença é responsável por um grande número de grande de mortes, principalmente de crianças com até dois meses de vida. Ela é causada por uma bactéria transmitida pelo ar, por meio da secreção eliminada ao falar, espirrar ou tossir. Os sintomas são espasmos de tosses frequentes e que podem durar até meia hora. A doença não provoca febre. O tratamento da coqueluche é feito com antibióticos. Cerca de 10% dos bebês contaminados não resistem à doença.

----------------------------------------------------------------------------------

Campanha contra dengue e chikungunya começa no dia 15 de novembro.

Todos os anos, nos meses mais quentes, o Ministério da Saúde realiza uma campanha de combate à dengue em todo o Brasil. Este ano, não é só ela que está na mira das autoridades e que merece atenção da população.

O vírus chikungunya, que já infectou diversas pessoas no país, também será foco da campanha.

As duas doenças são transmitidas pelo mesmo mosquito, que é o Aedys aegipt.

A Secretaria de Higiene e Saúde avisa que os cuidados contra a chikungunya são iguais aos que já são adotados contra a dengue.

Como as doenças são semelhantes, os profissionais da área estão tendo uma atenção maior na hora de fazer o diagnóstico, já que a dengue é mais grave e merece cuidado maior com relação ao tratamento.

Durante todo o período da campanha, que começa dia 15 de novembro, serão divulgadas orientações sobre como evitar a proliferação dos mosquitos que causam as doenças.

----------------------------------------------------------------------------------

Campanha de vacinação contra paralisia infantil e sarampo vai até o dia 28 de novembro.

A Secretaria de Higiene e Saúde de Itararé comunica que a campanha Nacional de Vacinação contra poliomielite e sarampo, que começou no dia 8 de novembro, continua até o dia 28 de novembro.

Devem receber a imunização contra a polio, também conhecida como paralisia infantil, crianças entre seis meses e cinco anos incompletos. Já a vacina tríplice viral, que protege contra o sarampo, a caxumba e rubéola, tem como público-alvo crianças entre 1 ano e 5 anos incompletos.

As doses estão disponíveis em todos os postos da Secretaria de Saúde.

O Brasil está livre da poliomielite desde 1990, e as campanhas anuais de vacinação são importantes para evitar que o problema reapareça.

Veja mais


Hemonúcleo Regional de Jaú divulga resultado da campanha em Itararé

Uma grande fila de doadores se formou dentro da E.M. Maria Silveira

Ler notícia

Movimento APAEANO mostrou sua força e Governo Federal revê sua posição

Pelo novo texto serão as famílias que decidirão se os filhos estão aptos para a inclusão.

Ler notícia

Homem com suspeita de ebola está internado em Cascavel, no Paraná.

Ministério da Saúde diz que ele será transferido para o Rio de Janeiro.

Ler notícia

Deputado e pesquisadores se reúnem com governador para o início dos testes da fosfoetanolamina.

O deputado do PR-SP comemora outro grande passo na luta pela “pílula do câncer”

Ler notícia


Comentários