Saúde - 10/10/2014

Homem com suspeita de ebola está internado em Cascavel, no Paraná.

Paciente está isolado em um leito da Unidade de Pronto Atendimento (UPA).



  • Equipe protegida com roupas especiais para atender paciente com suspeita de ebola em Cascavel.

  • Unidade de Pronto Atendimento no bairro Brasília em Cascavel recebeu paciente com suspeita da doença. (foto: fórum nova ordem mundial)

O Ministério da Saúde e a Secretaria de Saúde do Paraná confirmaram, na noite desta quinta-feira (9), que um paciente internado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) II, em Cascavel, no oeste do Paraná, está com suspeita de ter contraído o vírus ebola. O homem, de 47 anos, chegou ao Brasil vindo da Guiné, um dos três países africanos que passa por um surto da doença.

O homem está isolado na UPA. "É um protocolo e estamos esperando orientação da secretária de saúde do estado para decidir quais medidas serão tomadas", afirmou o secretário de saúde de Cascavel, Reginaldo Andrade. Segundo o Ministério da Saúde, o homem estava subfebril e sem hemorragia ou outros sintomas da doença. Leia a nota da pasta abaixo.

O paciente está no 21º dia da possível infecção. Segundo o ministério, esse é o prazo máximo para a incubação da doença. Por esse motivo, todos os protocolos internacionais estão sendo aplicados, para evitar uma proliferação, caso seja confirmada a enfermidade.

A Secretaria de Saúde do Paraná informou que já mandou uma equipe para avaliar o caso e a situação do paciente. Os profissionais devem chegar à cidade até o início da manhã de sexta-feira (10). A Força Aérea Brasileira deve auxiliar na transferência do homem, que será levado para o Rio de Janeiro, em uma aeronave da Polícia Rodoviária Federal. Ele será transferido para o Hospital Evandro Chagas.

Número de mortos aumenta
O vírus, que é transmitido por contato direto com fluidos corporais de uma pessoa infectada, matou quase 3,9 mil pessoas na África Ocidental até o momento, de acordo com o balanço mais recente divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Ao todo, foram 3.865 mortes, de 8.033 casos até o dia 5 de outubro na África Ocidental, segundo balanço da OMS. Não há evidência de que a epidemia esteja sob controle.

Libéria e Serra Leoa têm respectivamente apenas 21% e 26% dos leitos necessários para atender os pacientes infectados pelo vírus. Os países vizinhos foram avisados para se prepararem para a propagação da doença através das fronteiras.

Leia a nota do Ministério da Saúde sobre o caso:

O Ministério da Saúde e a Secretaria de Estado da Saúde do Paraná informam que a Unidade de Pronto Atendimento Brasília, em Cascavel (PR), recebeu nesta quinta-feira (9), no período da tarde, um paciente classificado como suspeito de infecção por ebola. Trata-se de um homem, de 47 anos, vindo da Guiné (escala em Marrocos), país de origem, que chegou ao Brasil, no dia 19 de setembro.  Ele relatou que ontem (8) e nesta manhã (9) teve febre. Até o início da noite, estava subfebril e não apresentava hemorragia, vômitos ou quaisquer outros sintomas. Está em bom estado geral e, mantido em isolamento total.

Por estar no vigésimo primeiro dia, limite máximo para o período de incubação da doença, foi considerado caso suspeito, seguindo os protocolos internacionais para a enfermidade. Guiné é um dos três países que concentram o surto da doença na África. O ebola só é transmitido através do contato com o sangue, tecidos ou fluidos corporais de indivíduos doentes, ou pelo contato com superfícies e objetos contaminados. O vírus somente é transmitido quando surgem os sintomas.

Imediatamente após a identificação da suspeita, o paciente foi isolado na unidade e, adotadas medidas previstas no protocolo nacional, como a comunicação à secretaria estadual de saúde e Ministério da Saúde. O caso está sendo acompanhado pelas equipes de vigilância em saúde do Ministério da Saúde e do Paraná. Assim que comunicado, o Ministério da Saúde enviou imediatamente equipe para Cascavel, por meio da FAB (Força Aérea Brasileira), onde coordenarão in loco as medidas de atendimento e a identificação de possíveis contatos para orientação e controle. 

O paciente será transferido, conforme protocolo de segurança, para o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, no Rio de Janeiro (RJ), referência nacional para casos de ebola. A transferência será feita por meio de aeronave da Polícia Rodoviária Federal. Nesta sexta-feira (10), o ministro da Saúde, Arthur Chioro, que coordena a ação nacional, e o secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa, concederão entrevista coletiva sobre o caso, às 10h, no Ministério da Saúde.

Veja mais


Campanha de Prevenção e Combate a Tuberculose acontece em Itararé.

Toda a pessoa com tosse há mais de três semanas deve procurar uma Unidade de Saúde mais próxima para informações e a realização de exames.

Ler notícia

Dengue: Com a volta das chuvas, cuidados devem ser redobrados.

População deve estar atenta para evitar o surgimento de focos e criadouros do mosquito da dengue.

Ler notícia

Gestantes concluem o curso oferecido pela Unidade Básica de Saúde da Vila Osório

Diversas noções durante e depois do parto foram repassadas para as futuras mamães

Ler notícia

Alergia. Você sabe o que é, quais os tipos e como combatê-la?

Não são somente os ácaros os responsáveis pela alergia. Muitos outros fatores contribuem.

Ler notícia


Comentários